sexta-feira, 13 de março de 2009

Pode acreditar, é pior do que você imagina!

Antes de começar nossa reforma, conversamos muito com pessoas que já tinham passado por isso. Super normal. Precisávamos de indicações de bons serviços, dicas de onde, quando e qual material comprar, dicas de como lidar com os contratados, essas coisas. E todas essas pessoas, sem exceção, nos advertiram: se você quer pagar pelos seus pecados, faça uma obra.

Ok, entendi, vamos comer o pão que o diabo amassou, arrancar os cabelos por causa do pedreiro, xingar até a última geração do marceneiro, discutir com a vizinha do andar de baixo, bater perna na Frei Caneca e nas mega lojas da Barra, brigar horrores um com o outro. E se nosso relacionamento resistir a tudo isso, vamos descobrir que fomos mesmo feitos um para o outro.

Depois de tanto ouvir as mesmas advertências, pensei: “Ah! Acho que estou preparada psicologicamente! Posso botar a mão na massa!”

Até o dia em que tudo começou. Só então você conclui que nunca estará preparado. Só depois de passar pelo primeiro cano vazando, pela dúvida cruel de escolher a cor do piso da cozinha, de descobrir que o pedreiro derrubou uma parede por engano, só depois de queimar a mufa pra decidir a melhor distribuição das louças no lavabo é que você entende que tudo aquilo que te contaram não era exagero e que, ao contrário do que você sempre pensou, você não é mais zen do que todos os seus amigos histéricos. Você é MUITO mais histérico do que todos eles juntos!

O que fazer, então? Ah! A gente faz um blog e segue em frente. Com a certeza de que, no final, vai ficar tudo lindo. E o melhor, você vai ter muita história de terror pra contar pros seus amigos que estão prestes a começar uma obra! Aí você passa pro lado de lá e pode até tirar onda de expert!

3 comentários:

Camila disse...

Sei muito bem como isso funciona, eu e meu marido ainda nem encontramos nossa casa, na verdade ainda estamos vendendo nosso apartamento e ja estamos brigando planejando todas as mudancas na futura casa...hihihi
A diferenca e que aqui (moramos em NJ-EUA) nos raramente lidamos com pedreiros e cia, nos colocamos a mao na massa sempre que possivel, muuuuito estresse.
No final tudo fica fica bem, ate vc descobrir que seu vizinho e um idiota, festas constantes, ouvir cada gemido nas aventuras sexuais do individuo, ronco, e por ai vai...sorte de vcs que no Brasil as paredes sao de concreto, entao e sucesso garantido ;)
Boa sorte!!!

Claudinha disse...

kkkk..adorei a forma como tá escrito aí! Sempre digo q se vc quiser desejar algo de ruim a alguém deseje uma reforma..uhhhuu..e com ele dentro..hehehe... pura maldade!
E realmente, coisa piores virão..então tirem muitas fotos, sentem na poeira, façam do caos uma história de rir..pq passado o terror é isso q farão ao lembrar das correrias. Ah! tá q os azulejos da cozinha eram demais, mas preservar uma parede, um pedacinho da cozinha ficaria legal..uma coisa meio retrô. Boas energias, aí gentem!

Regiane disse...

Olá Eduardo


Obrigada pela visita no meu blog!

Eu uso imagens no geral que possam servir de referência e inspiração para todos os leitores e também como forma de divulgar meus trabalhos de consultoria.

Como ainda não tenho nenhuma parceria com empresas da área,por issi não divulgo marcas.

Mas com certeza,aqui no Brasil,temos excelentes produtos e fornecedores de materias tão bons quanto em outros países.
Um abraço
Regiane